02/06/2008

B A Base: tipos de base

Vamos falar das bases!
Tudo na vida tem que ter uma base, maquilhar a face não é excepção.

Qual a importância da base? Toda.
Ela permite:

Hidratar- formando uma barreira contra as agressoes diárias, inclusive dos raios solares.
Corrigir - defeitos, imperfeições na tez, cicatrizes, excesso de oleosidade ou de secura;
Iluminar - as partes mais interessantes do rosto em detrimento das não tão abonatórias;
Dar sustentabilidade- aplicar maquilhagem sem ter uma base, fará com que ela desapareça mais rapidamente.

Todas somos diferentes, com necessidades diferentes.

Felizmente o mercado sabe responder a todas elas com muitas soluçoes. Aliás o mercado dos produtos de beleza é dos mais florescentes, sem ideia de crise!

Neste post, exlicamos o básico das bases. Desta forma será mais fácil escolher o tipo indicado, evitando uma compra inútil ou inadequada.

Será toda uma temática sobre bases:

B A - ba (este post)
Escolha da cor ideal/ variedades à disposição (no futuro)
Aplicação da base (no futuro)

OK. Sabendo da importância da base, importa o importante para nós - o CONFORTO:
a base tem que ser confortável:
- porque sabe bem ao aplicar;
- porque não a sentimos ao longo do dia;
-porque não se nota como algo SOBRE o nosso rosto, apenas algo que melhora o nosso aspecto quando lá está.


Temos que nos conhecer antes de mais:
que pele temos? seca? oleosa? sensível? mista?
Que cobertura precisamos? temos borbulhas? cicatrizes?
que cor de pele temos? - isso importa mais no post sobre a escolha da cor da base

No início deste capítulo ficamos a saber que existem 3 tipos de base, que se subdividindem.


A) Líquida
B) Em creme
C) Pó


A) a base líquida é a mais comum, pode ser mais ou menos fluída (existe também em emulsão), à base de água (peles oleosas ou mistas) ou de óleo (peles secas).
Quanto mais fluída, menos cobertura proporciona.

Importa aqui saber a quantidade de imperfeições que temos que cobrir pois a maior cobertura de defeitos pode acabar por retirar o ar natural que deve existir em qualquer altura.
(se bem que os correctores existem para ajudar nesse sentido, especialmente quando o que temos são algumas imperfeições, mas já falaremos deles).


B) a base em creme, normalmente é à base de óleo, ou seja, peles oleosas não devem sequer pensar na utilização. No entanto é ideal para as peles mais secas, pois para além de permitir alguma hidratação, oferece uma cobertura forte e bastante brilhante.
A aplicação acaba por ser ainda mais fácil pois não existe o perigo de escorrer. O facto de ter a consistência de um creme também permite a utilização como corrector.

b-1) encontramos aqui um primeiro subtipo: as bases em stick. O facto de esta base ser sólida proporciona muitas vantagens: a maior parte destas bases tem um efeito secante e matificante, pelo que é aconselhada a peles oleosas, dada a possibilidade de um acabamento mate.

São também úteis para a cobertura de imperfeições.

Oferecem uma boa cobertura, graças à sua textura expessa, o que no entanto as torna um pouco pesadas, pelo que é recomendável que não se usem para a cobertura de todo o rosto numa maquilhagem de dia a dia, aplicando-se apenas nas áreas a corrigir ou eventualmente na zona T.

b- 2)outro sub-tipo: bases em mousse. São um tipo recente, menos tradicional, ideais para uma pele jovem sem problemas, pois fazem uma cobertura muito natural, dando uma sensação de leveza.


b-3) Um creme muito especial é o conhecido corrector: ele é para muitas o "salva-vidas". Usamos normalmente num tom abaixo do nosso próprio tom de pele, pois para além de cobrir imperfeições como olheiras permite iluminar um rosto.

No entanto há correctores especiais que merecem atenção pois permitem um muito melhor efeito e que não são muito falados:

- o corrector azul (para corrigir os vermelhos, seja em manchas, derrames ou olheiras)
- o corrector verde (iluminando o rosto, corrigindo também as manchas vermelhas)
- o corrector rosa (usado como iluminador)
- o corrector amarelo (corrigindo peles com manchas em tonalidades mais escuras em certos pontos)


C) As bases em pó começaram por ser na forma de pós coloridos que proporcionavam uma cobertura completa e bastante pesada, hoje em dia, existem pós transparentes que oferecem várias vantagens como: controle do brilho e secagem da oleosidade da pele ao longo do dia. São ainda comummente usados para um acabamento mate.
A aplicação é feita ou com uma almofada (borla) ou um pincel grosso (o kabuki é o ideal).

O pó pode também ser compacto - tendo nesse caso uma fórmula mais pesada, ideal para retoques ao longo do dia, ajudando a refrescar o visual.
Há também os famosos pós bronzeadores, para o verão, mas n abusem!


c-1) bases com acabamento duplo (ou de creme para pó)

são um híbrido, com possibilidade de aplicação a seco ou molhado. Óptimas para quem tem pressa ao maquilhar-se. A seco aplicamos como um pó.
Na versão molhada é ideal usar uma esponja aplicadora.
Recomendada para todos os tipos de pele.


c- 2) os minerais. São a coisa mais high tech do momento! Como supostamente são super naturais não provocam reações alérgicas e permitem uma grande perfeição na aplicação e resultado final, pois vao sendo aplicados em camadas.


Agora e finalmente as últimas duas variantes:

bases em GEL - proporcionam um aspecto super natural e leve, recomendadas para peles normais e sem imperfeições.

Hidratantes com cor - para as mais apressadas ou preguiçosas oferecem uma cobertura bastante fina, no entanto alguma cobertura ainda assim.

(esta invenção é apenas o passar para um único produto o que já se vai fazendo bastante que é adicionar um hidratante à base na hora da aplicação para maximizar o resultado.

Falta mencionar que, em hora de escolher e sempre que possível é recomendável que as bases contenham algum factor de protecção solar.


Recapitulando, parece muita informação?


Está toda neste quadro.

Be velvet.

2 comentários:

Elisa Albuquerque disse...

Maravilhosa matéria Ximi, beijinhos a todas!

Anónimo disse...

Obrigada pela tabelinha! *