08/06/2008

Cadernos de Domingo:DFM - a taxa de esforço

Continuando a saga do domingo passado, falamos hoje das famosas despesas mensais fixas.
Mais certo que o ordenado que recebemos, receberemos mensalmente cartas com contas de serviços básicos.
Normalmente estas contas são relativas à nossa casa, carro e eventualmente escola dos miúdos.

Actualmente o cenário mais comum é o da casa própria comprada através de empréstimo, bem como o do carro comprado nos mesmo moldes.

Se ainda não contraíram um empréstimo para compra de habitação, essencial é saber qual será a vossa TAXA DE ESFORÇO que não é mais que a parte do rendimento de um agregado familiar que é utilizado para o pagamento de empréstimos.
Nota: com o aumento do valor dos juros, esta taxa terá sempre uma tendência para subir, pelo que idealmente deverá ter inicio num valor que permita alguma margem para um aumento.
Mas atenção, a taxa de esforço não respeita apenas às dívidas contraídas para a casa.
Para terem a real noção que qual ela seja, devem somar todas as dívidas contraídas no momento (os valores das prestações mensais) e verificar que percentagem do rendimento líquido da "empresa" está dedicada a isso.
Para terem uma noção e um possível alerta, uma taxa de esforço ideal é de 36%.

Exemplo: Familia ABC
Rendimento:
A - 650€ líquidos
B - 650€ líquidos
C - membro meramente consumidor
Despesas fixas mensais:
créditos
- habitação: 400€
- automóvel: 200€
- consumo (crédito para o famoso LCD, p exemplo): 50€
- cartão crédito: 100€

A taxa de esforço aqui é de quase 58%, e isto simplesmente não pode ser! é mesmo demais!

Acção? Ponderar liquidar as dívidas no cartão de crédito e do consumo quanto antes e eventualmente vender o carro para saldar a dívida dessas prestações. (talvez aproveitar algum subsidio de férias ou Natal)
Uma dívida ao banco de 400€ para este rendimento já é mais que suficiente! Até porque provavelmente no mês seguinte o valor aumentará!
Um cenário destes é uma clara marcha para a falência neste momento.

Para além dos gastos com os créditos, resta considerar as outras despesas mensais relacionadas com a casa: as energéticas por exemplo.
No total a fatia destinada a gastos com a casa, deve rondar os 33%.

Voltando à familia ABC, com a sua casa eles não deviam gastar mais de 429€, entre renda, água, luz e gás e no caso de casa própria seguros também.

Algumas destas despesas não são no entanto efectivamente pagas todos os meses, o que pode causar uma falsa sensação de que tudo está bem, mas verdadeiros momentos de pânico e aflição no momento de pagar. É o caso dos seguros que se pagam anualmente, ou das contas como a luz que muitas vezes se pagam de dois em dois meses.
Acção? Calcular 50% da média paga nessa altura e colocá-la de parte, no entanto contabilizá-la no orçamento.
Este tema será abordado no próximo caderno, mas fica já a luzinha!

Famlia ABC
Rendimento: 1300€ líquidos
Despesas mensais fixas : não devem superar 470€ sensivelmente. (ou seja, já é apertado para altos gastos nos telefones, internet telemóveis, TV cabo)

Como cortar?
Verificar junto do banco ou outras instituiçoes possibilidades de reduzir a prestação. (procurar renegociar o crédito)
Verificar se podem poupar na água luz e gás.
ÁGUA - torneiras bem vedadas, truque do autoclismo: uma garrafa cheia com água lá dentro pode permitir poupanças de 1.5lts de água em cada descarga, duches em vez de banhos de imersão, e torneiras fechadas na hora d ensaboar. Lavar os dentes usando um copo. Lavar a loiça sem ser com água corrente a menos que imperativo. Quem usa máquina usar apenas quando bem carregada.
LUZ - Stand By está fora dequestão. tudo deve ser desligado, inclusive luzes que não são necessárias, mudar as lampadas para economizadoras, ter tarifários bi horários e usar as máquinas de noite, não andar contantemente a abrir o frigorífico.
Gás - esquentador desligado a menos que em utlização, usando o forno aproveitar para fazer mais que uma coisa.

Vamos reduzir as despesas fixas porque a seguir vem a segunda tranche bem pesada também, as Despesas Periódicas Fixas!!

Be smart!

Sem comentários: