08/03/2012

Se não falasse do dia da mulher não era lady


Ao longo dos anos sempre me rebeliei contra este dia.
Hoje, do alto dos meus 33 anos sinto algo diferente.
Estou demasiado frágil para não me alegrar peranto o ainda que cinismo de um dia em que se pode sonhar.
Um dia em que além de cidadã, descartável e oprimida pelo sistema e pela sociedade, posso ao menos sonhar que sou algo mais e que faço parte do bem comum.
Sou então, mesmo que apenas hoje património material da humanidade.
Da humanidade de hoje, ano 2012.

Be... Mulheres!

4 comentários:

Lady de Verniz Amarelo disse...

Feliz dia da mulher... Mas flash news... és património material da humanidade todos os dias... Portanto eu sou apologista que dia da mulher é todos os dias, porque todos os dias me orgulho de ser mulher... ora! :p

Isabel disse...

Eu continuo e continuarei sempre a rebelar-me contra este dia e já conto muitos mais anos no meu calendário.
Só a simples existência deste dia é um insulto ao género feminino, é o reconhecimento universal que as mulheres estão num patamar inferior e precisam de ser "protegidas".
Recuso total e completamente este estatuto. Sou mulher, ser humano, cidadã consciente e interveniente... com alguns neurónios a funcionar, ponto final.
Por isso rebelo-me, insurjo-me, revolto-me contra o cinismo deste sistema que me oprime, que me trata como inferior e descartável, sempre o fiz, sempre o farei, não só por palavras mas por atos, no dia a dia, todos os dias.
Só deixarei de o fazer quando já não existir.
Be aware, always!

Isabel disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
ximiusa disse...

@ Lady de Verniz Amarelo
Aí está uma feminista! Se estivessemos nos anos 90, ainda temia que queimasses o wonderbra! lool
Beijo grande :)

@Isabel
Bolas Isabel, isso é muito profundo. Juro que no ano passado teria escrito algo muito semelhante, bravo por manteres a chama acesa.
Kissy!