03/04/2012

MAC 2012/Março


Eis um resumo do que se praticou por estas ximibandas.

1) CASH


É engraçado quando percebemos que as facilidades/facilitismos são o que nos põe na lama.
Sabia lá eu, há 15/20 anos que a intenção dos cartões de débito (e mais tarde) os de crédito era fazer-nos gastar mais dinheiro?
Para mim era uma coisa muito fixe, sacar de um cartão e pagar uma despesa.
Sentia-me adulta e não entendia aqueles taralhocos que teimavam em olhar para um cartão de plástico como um instrumento do demo.
Acontece que hoje já consigo ver a luz! Porque o banco me fez o favor de me abrir os olhos claro.
A facilidade do plástico aliada a práticas de bancos que nos avançam sempre uns euritos para transações fizeram-me passar a linha no mês passado.
3.40€ negativos numa conta (a do cartão que tinha comigo), custaram-me 10.40€ de comissão de descoberto mais imposto de selo. Que giro não é?
Por isso desde há algum tempo que o dinheiro é que manda.
Deixem só que vos diga, a sensação tem tanto de desconhecida como de bipolar: sentimo-nos poderosas com um molho de notas no bolso, no entanto bater as ditas notas num qualquer balcão dá uma raiva!!
Assim sendo, tento tanto quanto possível pagar em cash, a factura da EDP então até faz ferver o sangue.


2) PACOTINHOS

Se já rapto  pacotes de açucar há longa data (desde que andei na dieta, que sempre trazia  comigo os dois pacotes de galões e nessa altura era mais generosa com pequenos-almoços fora de casa...), tornei-me mais recentemente raptora de outros artigos: pacotes de ketchup e guardanapos que sobram no Mac, por exemplo.
Não vejo qualquer tipo de problema nisto, os pacotes de ketchup são os mesmos que me oferecem na loja mas que não uso porque compro o outro molho. E se estão do lado de cá, eu trago comigo em vez de lançar no caixote.
Recordo no entanto uma manha que me fez perceber que isto da forretice tem sempre dois lados: no café dos tais galões diários onde eu não consumia o açucar, a dona decidiu, depois de me ter visto a sair de lá vezes sem fim com dois pacotes na mão, que não me colocava os ditos pacotes no pires, era só um para não dar mau aspecto... e ao fim de um certo tempo já nem a empregada dela colocava uma colher!
Afinal não presta se eu o levar, mas ela ficar com eles já lhe interessava!
Passei a levar só um, mas da colher não abri mão, mesmo após ter ouvido um... "mas a menina nunca põe açucar!" (que atentas que elas eram), que simpaticamente retorqui com: "a colher serve basicamente para misturar o resto de café que colocou no copo de leite, o açucar é um extra"
... só por um requinte de malvadez informo que o café não abriu mais desde meados de Dezembro... pelos vistos os galões a 1.10€ mesmo com menos pacotes de açucar não renderam o suficiente....

3) IR ÁS COMPRAS (DE CARRO)

Por acaso até correu bem este mês, se bem que a pressão não foi como no anterior (porque já não havia saldos).
Em Fevereiro, com medo de possíveis estragos, andei 3 fins de semana a proibir-me de ir aos saldos... resultado TIRO PELA CULATRA! No dia em que fui, estendi-me ao comprido.
Este mês fui de facto ao Continente para as compras pesadas e não sei quê, mas não todos os fins de semana como dantes.
Fui só naquele fim de semana em que tinha que passar na Worten por causa de uma garantia de um produto defeituoso.
Acabou o turismo de compras! Sim que a gasolina... valha-nos a troika!

4) SEGURO AUTOMÓVEL

Era multiriscos (sim que eu não sou cândida de dizer que era contra todos os riscos... até porque andei a ler a apólice e OH MEU DEUS COMO SOU LORPA!).
Tinha uma protecção para ocupantes, e para um seguro de vida, havia vantagens para IRS. Acabaram.
Tinha uma assistência em viagem gold. Eles unilateralmente acabaram com ela e informaram-me que agora ia ter assistência base, mas que podia comprar o extra para ser VIP em vez de GOLD.
Tinha uma factura semestral de 161€, passaram para 162€ (mesmo sem o tal gold).
Sabem o que não tenho? Seguro de saúde ou médico de família do estado. O meu carro comparado a mim é um príncipe!
Tratei do assunto, novo prémio semestral (seguro de responsabilidade civil automóvel obrigatório + assistência em viagem BASE): 66€/semestre.

O resto? Os 192€ que poupo por ano? vou procurar um médis ou assim para tratar de mim, que sem saúde nem atestar o depósito posso.

5) NO SPEND DAY

Sabem aquela linda expressão Dia de São Receber?
Esquecam lá isso, o que está a dar é o Dia de Não Gastar!
Conceito tão básico quanto eficaz: o dia de não gastar é aquele dia em que não gastamos nada.
E nada é:
- depois de pagas as contas e posto os euros nos envelopes para facturas com outras frequências que não mensais, fica todo aquele deserto que é o resto do mês. Estipulamos um número de dias em que não gastamos nada, simplesmente.
O no spend day é um dia em que não fomos ao café, não jogámos euromilhões, não comprámos um chocolate, não trouxemos uma revista para casa por mais incrível que seja o brinde da dita revista, não fomos nem pão comprar (há também já me deixei disso, conto para o próximo MAC).

É preciso no entanto ter cuidado com estes NSD porque por vezes têm o efeito touro enjaulado: quando estamos muito tempo a aguentar e surge um dia que não é NSD, uma pessoa parece uma coquinada a ressacar por uma ida nem que seja ao chinês para comprar fósforos.

O número de NSD's fica ao gosto da freguesa, podemos trabalhar por objectivos ou apenas ir com a onda.


Lady's be... sem dívidas!

4 comentários:

Miminhos disse...

Amei o teu post, as always!
Beijocas

nailspt disse...

quando for grande quero ser poupadinha como tu hehehhe

beijinhos ;)

Sweet Pink disse...

Ai meu Deus, tu és tão engraçada! :)

ximiusa disse...

Miminhos
Obrigada minha querida, se puder ajudar com estes meus testes, sinto-me muito bem :)

nailspt
Opá! e eu queria ser assertiva como voce! beijo grande!

Sweet Pink
Loooool. so porque me divirto a poupar trocos? ahahahah
Beijo